Precarização e trabalho essencial no Brasil no contexto da pandemia da COVID-19

Frederico Daia Firmiano, Sergio Valverde Marques dos Santos, Ana Marcia Rodrigues da Silva

Resumo


A pandemia do novo coronavírus provocou uma crise de amplas de dimensões nos países ao redor do mundo. Essa situação afeta a classe trabalhadora na obtenção da sua renda remuneradora, bem como, no que tange às condições de trabalho. Diante do quadro de emergência de saúde pública, no Brasil foram publicados decretos que definiram serviços públicos e amplas atividades consideradas essenciais durante a pandemia. Assim sendo, por meio deste artigo objetiva-se refletir e discutir sobre condições de trabalho destes trabalhadores essenciais. Neste intuito, seguiu-se uma metodologia de caráter ensaístico. Por meio de revisão de literatura, discussões e reflexões acerca do tema, concluiu-se que a ampliação das atividades essenciais coloca em risco a saúde dos trabalhadores, ao precarizar ainda mais as condições de trabalho. Além disso, pode criar um problema de ordem socioeconômica, ao comprometer o andamento das atividades que, de fato, são essenciais, tal como a assistência à saúde.

Palavras-chave


Ciências do trabalho; Saúde do trabalhador; Pandemias; Mercado de trabalho

Texto completo:

PDF

Referências


Internation Monetary Fund. World Economic Outlook (Chapter 1. The Great Lockdow), April, 2020.

International Labor Organization. ILO Monitor. COVID-19 and the world of work. Updated estimates and analysis. Third edition, May, 2020.

World Health Organization (WHO). Coronavirus. Coronavirus disease (COVID-19) pandemic, 2020.

Brasil. Ministério da Saúde. Coronavírus, COVID-19. Brasil registra novos casos de coronavirus. Publicado em 13 de maio de 2020. Maio, 2020.

Ornell F, Halpern SC, Kessler FHP, Narvaes JCM. The impact of the COVID-19 pandemic on the mental health of healthcare professionals. Cad Saúde Pública, 2020;36(4):e00063520.

International Labor Organization. Social protection responses to the COVID-19 pandemic in developing countries. May, 2020.

Brasil. Decreto nº 10.282, de 20 de Março de 2020, Regulamenta a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, para definir os serviços públicos e as atividades essenciais. 2020.

Brasil. Auxílio emergencial. Lei nº 13.982 de 02 de abril de 2020. Que altera a Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 199 e estabelece situações excepcionais de proteção social diante da pandemia do novo coronavírus, 2020.

Brasil. Decreto nº 10.329, de 28 de Abril de 2020. Altera o Decreto nº 10.282, de 20 de março de 2020, que regulamenta a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, para definir os serviços públicos e as atividades essenciais. 2020.

Firmiano FD. Wahlverwandtschaft: pós-neoliberalismo e neodesenvovimentismo no Brasil. Rev Outubro, 2015;11:1-26.

Sampaio Jr PA. A crise estrutural do capital e os desafios da revolução. In.: Jinkings, I; Nobile, R. Mészáros e os desafios do tempo histórico. São Paulo: Boitempo, 2011.

Fernandes F. Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina. 4 ed, São Paulo: Global, 2009.

Druck G. A precarização social do trabalho no Brasil. In.: Antunes R. (Org.) Riqueza e miséria do trabalho no Brasil II. São Paulo: Boitempo, 2013.

Antunes R. O continente do labor. São Paulo: Boitempo, 2011.

Antunes R. (Org.) Riqueza e miséria do trabalho no Brasil. São Paulo, Boitempo, 2006.

Pochmann M. Raízes da grave crise do emprego no Brasil. In: Fontes R; Arbex MA. (Ed.). Desemprego e mercado de trabalho: ensaios teóricos e empíricos. Viçosa: UFV, 2000.

Santos AL, Pochmann M. O custo do trabalho e a competitividade internacional. In: Oliveira CEB, Mattoso JEL, Levi JE. Crise e trabalho no Brasil, modernidade ou volta ao passado? São Paulo: Scritta, 1996.

Oliveira CAB. Formação do mercado de trabalho no Brasil. In: Oliveira MA. (Org.). Economia & Trabalho. Campinas: Unicamp. IE, 1998.

Pochmann M. Tendências estruturais do mundo do trabalho no Brasil. Cienc saúde coletiva, 2019;25(1):89-99.

Osorio J. América Latina: o novo padrão exportador de especialização produtiva – estudo de cinco economias da região. In.: Ferreira C, Osorio J, Luce M (Orgs.). Padrão de reprodução do capital: contribuições da teoria marxista da dependência. São Paulo. – Boitempo, 2012.

Paulani L. Brasil Delivery: servidão financeira e estado de emergência econômico. São Paulo: Boitempo, 2008.

Filgueiras VA, Lima UM, Souza IF. Os impactos jurídicos, econômicos e sociais das reformas trabalhistas. Cad CRH, 2019;32(86):231-252.

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua. Microdados do primeiro trimestre de 2020 sobre ocupação. 2020.

Pena PGL, Minayo-Gomez C. Premissas para a compreensão da saúde dos trabalhadores no setor serviço. Saúde Soc, 2010;19(2):371-383.

Mészáros I. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. 3 reimp. São Paulo: Boitempo Editorial, 2009.

Say JB. Tratado de Economia Política. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

Keynes J. Teoria Geral do emprego, do juro e da moeda. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

Lima DJP. Desenlace da crise econômica: o Princípio da Demanda Efetiva em Kalecki e Keynes. Portal Unifal: Varginha, 2020.

Alves M, Godoy SCB. Procura pelo serviço de atenção à saúde do trabalhador e absenteísmo - doença em um hospital universitário. Rev Min Enfer, 2001;5(1):73-81.

Rezende MP. Agravos à saúde de auxiliares de enfermagem resultantes da exposição ocupacional aos riscos físicos. [Dissertação] Ribeirão Preto (SP): Escola de Enfermagem da USP, Universidade de São Paulo; 2003.

Merlo ARC, Bottega CG, Perez KV. Atenção ao sofrimento e ao adoecimento psíquico do trabalhador e da trabalhadora: cartilha para profissionais do Sistema Único de Saúde. Porto Alegre: Porto Alegre: Evangraf, 2014.

Lacaz FAC. Saúde do trabalhador: cenários e perspectivas numa conjuntura privatista. Informe União Internacional dos Trabalhadores na Alimentação, Montevideo-Uruguai, 2002.

Lima YO, Costa DM, Souza JM. Risco de Contágio por Ocupação no Brasil. Impacto COVID-19, Rio de Janeiro, Março, 2020.

World Health Organization (WHO). Folha informativa – COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus). 2020.

Gomez CM, Lacaz FAC. Saúde do trabalhador: novas-velhas questões. Ciênc. saúde coletiva, 2005;10(4):797-807.

Dalglish SL. COVID-19 gives the lie to global health expertise. Published Online, 2020;395(10231):1189.

Dashraath P, Wong JLJ, Lim MXK, Lim LM, Li S, Biswas A et al. Coronavirus Disease 2019 (COVID-19) Pandemic and Pregnancy. American Journal of Obstetrics and Gynecology, 2020;222(6):551-531.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, 1988.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2319-0574