A precarização do trabalhador moçambicano face ao estrangeiro nas indústrias mineiras de Moçambique: análise da multinacional Vale do Rio Doce

Arménio Alberto Rodriques Da Roda

Resumo


 

Trata-se de analisar a situação da  precarização do trabalhador nacional moçambicano, face ao trabalhador estrangeiro, nas indústrias mineiras em Moçambique, tendo como o principal  objeto,  à análise  crítica da atividade mineira da multinacional brasileira, Vale do Rio Doce,  compreendendo  a relação trabalhistas subordinada, entre a vale e os trabalhadores moçambicano, neste contexto, o artigo busca realçar as assimetrias salariais entre trabalhador nacional e estrangeiro, ademais, o artigo compreende ainda, os mecanismo legais e institucionais perante esta situação de precarização e exploração da força de trabalho do trabalhador  moçambicano, analisando o papel do sindicato no âmbito da mobilização contra a exploração capitalistas , assim como órgãos do executivo e do judiciário nesta ceara.

 

 

 

 

 


Palavras-chave


chaves: Precarização do trabalhador mineiro moçambicano; multinacional Vale, desigualdades salariais entre trabalhadores estrangeiros e nacionais.

Texto completo:

PDF

Referências


CARDOSO, Adalberto M. Sindicatos, Trabalhadores e a Coqueluche Neoliberal: A Era Vargas Acabou? Editora FGV. Rio de Janeiro, (1999),

CARDOSO, Adalberto M; LAGE, Telma, As Normas e os Fatos, desenho e efetividades das normas das instituições de regulação no trabalho no Brasil, Editora FGV. Rio de Janeiro 2007.

COELHO, Tádzio Peters Noventa por cento de ferro nas calçadas: mineração e (sub)desenvolvimentos em municípios minerados pela Vale S.A. Tese. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2016.Disponivel: http://www.ufjf.br/poemas/files/2014/07/Coelhor-2016-Noventa-por-cento-de-ferro-nas-cal%C3%A7adas-Tese-de-Doutorado.pdf

DUTRA, Renata Queiroz. Trabalho, regulação e cidadania: a dialética da regulação social do trabalho em call centers na Região Metropolitana de Salvador. 2017. 388 f., il. Tese (Doutorado em Direito) Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

MARSHALL, Judith Mega-projetos de mineração e trabalho: trabalhar para a Vale “a pior empresa do mundo”: casos do Canadá, Brasil e Moçambique. Conference Paper nº 21 Instituto de Ciências.

RIBEIRO, Fernando Bessa. DO ESGOTAMENTO REVOLUCIONÁRIO À LIBERALIZAÇÃO: o movimento sindical face às privatizações em Moçambique na década de 1990. Cad. CRH [online]. 2015, vol.28, n.74 [cited 2019-11-20], pp.369-382. Available from: . ISSN 0103-4979. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-49792015000200009.

RODRIGUES, Yssyssay D. A Vale em Moçambique: Uma etnografia das relações entre brasileiros e moçambicanos no cotidiano dos megaprojetos., Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho, Araraquara – São Paulo. 2015

VIANA, Márcio Túlio, poder diretivo e sindicato: entre a opressão e a resistência,2005

RELATÓRIO DE INSUSTENTABILIDADE DA VALE 2012, Disponível:https://amazonwatch.org/assets/files/2011-vale-unsustainability-report.pdf

Informações colhidas do entrevistado Jeremias Vunjanhe, pelo Instituto Humanitas, Disponível: http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/500479-mocambique-o-menino-bonito-da-vale-entrevista-especial-com-jeremias-vunjanhe.

Notícias acessadas no jornal da Globo e disponível: https://oglobo.globo.com/economia/negocios/trabalhadores-da-vale-em-mocambique-entram-em-greve-18691170

Informações disponíveis: http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/500479-mocambique-o-menino-bonito-da-vale-entrevista-especial-com-jeremias-vunjanhe


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2319-0574