O movimento sindical diante da “tempestade perfeita”: austeridade, desregulação trabalhista e retrocesso democrático

Regina Coeli Moreira Camargos

Resumo


O artigo descreverá e analisará o atual contexto vivenciado pelo sindicalismo brasileiro, caracterizado por grandes adversidades no plano econômico e político, além de profundas alterações no marco regulatório das relações de trabalho no país, a partir da entrada em vigor da reforma trabalhista, em dezembro de 2017 (Lei 13.467/2017). Esse contexto está sendo chamado de “tempestade perfeita”, pois combina uma série de elementos muito desfavoráveis à ação sindical e que colocam em risco a sua própria sobrevivência. Um dos elementos dessa “tempestade”, a reforma trabalhista, será abordado de forma mais detalhada, procurando-se avaliar seus possíveis impactos nas várias dimensões do poder sindical. Ao final do artigo, será feita uma reflexão sobre as possíveis alternativas de enfrentamento, pelo movimento sindical, dos imensos desafios postos por esse contexto.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2319-0574