O trabalhador por conta própria: empreendedorismo e autoemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte/MG

Maria de Fátima Rossi

Resumo


O artigo tem como objetivo analisar as características e trajetórias dos trabalhadores por conta própria da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Esses trabalhadores constituem um grupo heterogêneo em suas atividades, tendo em comum o fato de atuarem, em sua maioria, na informalidade. A metodologia utilizada no estudo teve caráter qualitativo, com a utilização de dados primários, por meio de entrevistas, e secundários com o uso da base de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE). Os principais resultados apontam mudanças no perfil desses trabalhadores, como a elevação da idade, escolaridade e renda, mas também a manutenção das desigualdades de gênero. Concluiu-se que os trabalhadores por conta própria buscam se posicionar no mercado como empreendedores, tentando corresponder à percepção que têm de si mesmos como tais, mesmo diante de grandes obstáculos.

Palavras-chave


Trabalhador por conta própria; empreendedorismo; autoemprego.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Attila M. e S. O empreendedor de si mesmo e a flexibilização no mundo do trabalho. Revista de Sociologia Política, Curitiba, v.19, nº 38, fev. 2011.

BARBOSA, Rosângela N. de C. A economia solidária como política pública: uma tendência de geração de renda e ressignificação do trabalho no Brasil. São Paulo: Cortez, 2007.

BOLTANSKI, Luc; CHIAPELLO Ève. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. 7ª Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

COSTA, Alessandra M. da; BARROS, Denise F.; CARVALHO, José L. F. A Dimensão Histórica dos Discursos acerca do Empreendedor e do Empreendedorismo. RAC, Curitiba, v. 15, n. 2, Mar./Abr. 2011.

COSTA, Alessandra M. da; BARROS, Denise F.; MARTINS, Paulo E. M. A alavanca que move o mundo: o discurso da mídia de negócios sobre o capitalismo empreendedor. Cadernos EBAPE, v. 10, nº 2, Jun. 2012.

DRUCK, G., OLIVEIRA, L. P. A condição “provisória permanente” dos trabalhadores informais: o caso dos trabalhadores de rua da cidade de Salvador. Revista VeraCidade, ano 3, n.3, maio de 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo 2000. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/default_censo_2000.shtm

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default.shtm

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de domicílios (PNAD) 2002. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2002/default.shtm

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de domicílios (PNAD) 2014. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2014/default.shtm

LIMA, J. C. Participação, empreendedorismo e autogestão: uma nova cultura do trabalho? Sociologias, Ano 12, N. 25, set./dez. 2010.

ROSENFIELD, Cinara L. Autoempreendedorismo: forma emergente de inserção social pelo trabalho. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.30, nº89, out. 2015.

SOARES, Thiago L. Indicador de desenvolvimento municipal (2000-2010): atlas da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) – MG. Belo Horizonte: Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Programa de Pós-Graduação em Geografia - Tratamento da Informação Espacial, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2319-0574