Análise dos acidentes com produtos perigosos ocorridos nas rodovias federais da BAHIA

Luana Leite dos Santos, Marciene Nascimento Silva

Resumo


O principal modal utilizado no Brasil para o transporte de produtos perigosos é o rodoviário e é neste onde ocorre a maior parte dos acidentes envolvendo esses tipos de substâncias. O objetivo do presente trabalho foi realizar um levantamento dos acidentes nas rodovias federais do estado da Bahia envolvendo produtos perigosos. Os dados foram obtidos junto ao Núcleo de Registro de Acidentes e Medicina Rodoviária (NURAM) da Policia Rodoviária Federal (PRF) do estado da Bahia. As ocorrências foram do período de 2010 a 2015, e contém informações como: ano dos acidentes, o tipo de produto, os municípios e rodovias federais, entre outros. A partir dos resultados foi possível identificar que o ano de 2010 foi o que mais ocorreu acidentes e a BR-242 foi a rodovia federal que houve mais ocorrências. Além disso, o tipo de produto com maior frequência nos eventos de acidentes foi o combustível para motores. Em relação às causas dos acidentes as mais frequentes foram a falta de atenção dos condutores e a velocidade incompatível. Para reduzir o risco de acidentes nas rodovias é necessário que haja manutenção das estradas e fiscalização mais rígida.


Palavras-chave


Acidentes. Produtos perigosos. Rodovias

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTES - ANTT. ANTT estende prazos sobre produtos perigosos. Publicado em: 17 jul 2017. Disponível em: < http://www.antt.gov.br/salaImprensa/noticias/arquivos/2017/07/ANTT_estende_prazo_sobre_produtos_perigosos.html>. Acesso em: 18 dez 2017b.

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTES - ANTT. Produtos Perigosos. Brasília, DF. Disponível em: . Acesso em: 28 mai 2017a.

ALVES, D. (2000). Diagnóstico parcial das condições de segurança do transporte rodoviário de produtos perigosos no Estado da Bahia. Feira de Santana. Disponível em:< http://www.higieneocupacional.com.br/download/transporte_cesat.pdf>. Acesso em: 25 ago. 2017.

ALVES, P.; GONTIJO, G.; JUNIOR, A. (2009). Análise do transporte rodoviário de produtos perigosos no estado de São Paulo e suas consequências no meio ambiente. In: CONGRESSO DE MEIO AMBIENTE DA AUGM, VI, São Carlos-SP. Anais...São Carlos-SP: UFSCAR, v. 5: 1-15.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA QUÍMICA – ABIQUIM. Programa “Olho Vivo na estrada”: A prevenção de comportamentos inseguros nas estradas. São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2017.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO TRANSPORTE. (2017). Pesquisa CNT de rodovias 2017: Relatório gerencial. Brasília: CNT: SEST: SENAT. 403p.

FERREIRA, C. E. C. (2003). “Acidentes com motoristas no transporte rodoviário de produtos perigosos”. São Paulo em Perspectiva, v.17, n.2: 68–80.

GIL, A. C. (2008), Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5a ed., São Paulo, Atlas.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Autorização ambiental para transporte de produtos perigosos. Brasília, DF. Disponível em: . Acesso em: 28 mai. 2017.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONOMICA APLICADA. (2015). Acidentes de trânsito nas rodovias federais brasileiras caracterização, tendências e custos para a sociedade: Relatório de Pesquisa. Brasília, 42p.

JÚNIOR, M. L. (2008). Transporte rodoviário de produtos perigosos: proposta de metodologia para escolha de empresas de transporte com enfoque em gerenciamento de riscos. Dissertação (Mestrado em Transportes) - Universidade de Brasília, Brasília. 192 f.

MELLO, C. F. (2010). Gerenciamento de risco no setor de transporte de produto perigoso no estado de Santa Catarina: análise no setor de transporte de cargas perigosas. Monografia (Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho) - Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão, SC. 95f.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Estatísticas de acidentes. Brasília, DF, 2010. Disponível em:< http://www.mma.gov.br/seguranca-quimica/emergencias-ambientais/estatisticas-de-acidentes>. Acesso em: 28 mai. 2017.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Estatísticas de acidentes. Brasília, DF. Disponível em:< http://www.mma.gov.br/perguntasfrequentes?catid=27>. Acesso em: 1 jun. 2017.

NARDOCCI, A. C.; LEAL, O. L. (2006). “Informações sobre Acidentes com Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos no Estado de São Paulo: os desafios para a Vigilância em Saúde Ambiental”. Saúde e Sociedade, v. 15, n.2: 113-121.

QUEIROZ, M. T. A.; SILVA, A. R.; FLORÊNCIO, I. S.; SILVA, R. R.; PERPÉTUO, T. M. C. (2008). “Acidentes no Transporte de Cargas/Produtos Perigosos no Colar Metropolitano do Vale do Aço, Minas Gerais”. V Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, Resende, Rio de Janeiro.

VERGINASSI, A.; DORES, E. F. G.; WEBER, O. L. S.; LAMBERT, J. A. (2007). “Acidentes ambientais no transporte rodoviário de cargas perigosas no estado de Mato Grosso”. Engenharia Ambiental: Pesquisa e Tecnologia, v. 4, n.1:103-119.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2319-0574