Gestão do conhecimento e qualidade de vida no trabalho: estudo exploratório com professores de uma escola pública paranaense

Deisy Cristina Corrëa Igarashi, Fernando Roberto Varnier Fernandes

Resumo


O estudo analisa a possibilidade de utilizar o modelo SECI (socialização, externalização, combinação, internalização) para desenvolver estratégias de prevenção do estresse/síndrome de burnout. A pesquisa é realizada com professores de uma unidade pública de ensino fundamental, médio e profissional em Foz do Iguaçu (PR). Trata-se se um estudo de caso, com análise dos resultados com perspectiva qualitativa. Identificou-se que modelo SECI possui potencial para embasar estratégias de prevenção do estresse, tendo em vista que os docentes, durante o estudo: (a) checavam suas pontuações e/ou sintomas/situações de estresse, reação que condiz com o processo de socialização de conhecimento; e (b) manifestaram interesse em participar de novas pesquisas e perguntaram sobre fontes de informações sobre o tema, o que representa que o instrumento pode desencadear processos de combinação/internalização.

Texto completo:

PDF

Referências


BATISTA, J. B. V.; CARLOTTO, M. S.; COUTINHO, A. S.; AUGUSTO, L. G. S. (2010). Prevalência da Síndrome de Burnout e Fatores Sociodemográficos e Laborais em Professores de Escolas Municipais da Cidade de João Pessoa, PB. In: Revista Brasileira de Epidemiologia, 13(3): 502-512.

FRANÇA, A. C. L.; RODRIGUES, A. L. (1996). Stress e Trabalho: guia básico com abordagem psicossomática. São Paulo: Atlas.

KARKOULIAN, S.; MESSARRA, L. C.; MCCARTHY, R. (2013). The Intriguing Art of Knowledge Management and its Relation to Learning Organizations. In: Journal of Knowledge Management, 17(4): 511-526.

KÜÇÜKOĞLU, H. (2014). Ways to Cope With Teacher Burnout Factors in ELT Classrooms. In: Procedia – Social And Behavioral Sciences, 16(21): 2741-2746, Feb.

LEILA, G.; SOGHRA, E. G. (2011). Developing and Validating a Model For Teacher's Occupational Stressors in Schools of Tehran. In: Procedia – Social and Behavioral Sciences, 29: 596-605.

LIPP, M. E. N. (2000). Manual do Inventário de Sintomas de Stress Para Adultos de Lipp (ISSL). 2 ed. revisada. São Paulo: Casa do Psicólogo.

LIPP, M. E. N. (Org.). (2002a). O Stress do Professor. 6 ed. Campinas: Papirus.

MELEIRO, A. M. A. S. (2002). O Stress do Professor. In: LIPP, M. E. N. (Org.). O Stress do Professor. 6 ed. Campinas: Papirus, cap. 1: 11-27.

TAKEUCHI, H.; NONAKA, I. (2008). Criação e dialética do conhecimento. In: TAKEUCHI, H.; NONAKA, I. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, cap.1: 17-38.

REIMHOLD, H. H. (2002). O Burnout. In: LIPP, M. E. N. (Org.). O Stress do Professor. 6 ed. Campinas: Papirus, cap.5: 63-80.

SELYE, H. (1950). Stress And The General Adaptation Syndrome. In: Medical British Journal, 17: 1383-1392, Jun.

SELYE, H. (1952). The Story of The Adaptation Syndrome [recurso digital]. Montreal: Medical Publishers.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2319-0574