Doenças osteomusculares: perspectiva da evolução no Estado de São Paulo

Rudmir Rogério de Camargo Faxina, Juliana Florindo Carvalho, Lucas Alves Vieira Pereira

Resumo


As Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (DORT) são consideradas doenças ocupacionais com distúrbios nas estruturas músculo-esqueléticas, causados por processo crônico durante o trabalho. Este estudo objetivou conhecer o cenário atual das doenças do trabalho e DORT no Estado de São Paulo e seus municípios, com ênfase nas grandes cidades. Para tanto, foram realizados levantamentos e análises estatísticas utilizando as principais bases de dados do país, no período de 2002 a 2018. Verificou-se que o número de registros de doenças ocupacionais no Estado de São Paulo está em declínio anual. Porém, a proporção de DORT em relação às outras doenças ainda é elevada. O seguimento econômico mais afetado é o das instituições financeiras (15,13%), enquanto que os principais distúrbios estão relacionados com lesões do ombro (33,33%). Também foi observada uma correlação estatística (r<-0,70) do PIB e IDHM com os registros de doenças laborais, revelando a importância de políticas públicas aliadas à compromissos sociais, em busca de melhorias na qualidade de vida dos trabalhadores. Por fim, conclui-se que os fatores ergonômicos e a organização do trabalho são muito importantes para minimização de DORT, assim como os investimentos em programas de promoção da saúde e prevenção de outras doenças do trabalho.


Palavras-chave


Risco ocupacional; Acidente do trabalho; DORT; Saúde coletiva

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOZA, M. C. N., MILBRATH, V. M., BIELEMANN, V. M., SIQUEIRA, H. C. H. Doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho (DORT) e sua associação com a enfermagem ocupacional. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 29, n. 4, p. 633-638, 2008.

BRASIL. Lei nº 8.213 de 24 de julhos de 1991. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 1991. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8213cons.htm>. Acesso em: 21 abr. 2020.

BRASIL. NR 17 – Ergonomia. Estabelece parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 2018. Disponível em: https://enit.trabalho.gov.br/portal/images/Arquivos_SST/SST_NR/NR-17.pdf. Acesso em: 10 abr. 2020.

BRASIL. Previdência Social Brasileira - DataPrev. Instituto Nacional do Seguro Social - INSS. INFOLOGO AEAT: Base de dados históricos de acidentes do trabalho. 2020. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2020.

CHIKOTAS, N. E., PARKS, C., OLSZEWSKI, K. Occupational safety and health objectives of Healthy People 2010: a systematic approach for occupational health nurses: part I. AAOHN Journal, v. 55, n. 2, p. 65-72, 2007.

DRUCK, G.; BORGES, A. Terceirização: balanço de uma década. Caderno CRH, v. 37, p. 111-139, 2002.

EQUIPE DE DESENVOLVIMENTO DO QGIS. Sistema de informações geográficas do QGIS: projeto código aberto geospatial foundation. [8.1.:8.n.], 2018.

EQUIPE ESTATCAMP. Software Action. Estatcamp Consultoria em estatística e qualidade. São Carlos - SP, Brasil, 2015.

GRAYSON, D., DALE, A. M., BOHR, P., WOLF, L., EVANOFF, B. Ergonomic evaluation: part of a treatment protocol for musculoskeletal injuries. AAOHN Journal, v. 53, n. 10, p. 450-457, 2005.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Geociências, Coordenação de Geografia. Sinopse do Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/sinopse/. Acesso em: 10 abr. 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Geociências, Coordenação de Geografia Pesquisa de Informações Básicas Municipais. Perfil dos Municípios Brasileiros 2018. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/df/brasilia/pesquisa/1/74454?ano=2018. Acesso em: 06 abr. 2020.

ILO. International Labour Office. Decent Work and the Informal Economy. Report of the Director General. International Labour Conference, 90th Session; Report VI; International Labour Office, Geneva, 2002. Disponível em: https://www.ilo.org/public/english/standards/relm/ilc/ilc90/pdf/rep-vi.pdf. Acesso em: 14 abr. 2020.

MUROFUSE, N. T., MARZIALE, M. H. P. Doenças do sistema osteomuscular em trabalhadores de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 13, n. 3, p. 364-373, 2005.

SHAWN, W. S., FEUERSTEIN, M., LINCOLN, A. E., MILLER, V. I., WOOD, P. M. Case management services for work related upper extremity disorders: integrating workplace accommodation and problem solving. AAOHN Journal, v. 49, n. 8, p. 378-389, 2001.

US Dept. of Health and Human Services, Centers for Disease Control and Prevention, National Institute of Occupational Safety and Health. Musculoskeletal disorders and workplace factors: a critical review of epidemiologic evidence for work-related musculoskeletal disorders of the neck, upper extremity, and low back.1997. Disponível em: https://www.cdc.gov/niosh/docs/97-141/default.html. Acesso em: 14 abr. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2319-0574