A PRÁTICA DO ASSÉDIO MORAL NO SETOR BANCÁRIO

Eduardo Luis Bertoldi, Camila Brüning

Resumo


Essa dissertação, realizada no Mestrado Profissional em Sustentabilidade e Governança, tem como tema o assédio moral e organizacional em instituições bancárias. O assédio moral e organizacional torna-se destaque frequente nas discussões trabalhistas. Mesmo sendo um assunto tão antigo quanto a origem do trabalho, sua pratica continua sendo comum o que desperta o interesse de instituições e organizações a fim de combatê-lo. Considerando o crescente número de casos, realizou-se essa pesquisa a fim de identificar quais as causas e consequências do assédio moral e organizacional nas instituições bancárias. Para tal, realizou-se entrevistas com funcionários de três instituições financeiras pertencentes ao Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE (BM&FBOVESPA). A coleta dos dados foi realizada junto ao sindicato dos bancários de Curitiba, através de entrevistas com funcionários e ex-funcionários de instituições bancárias de Curitiba- PR. Foi utilizada uma pesquisa com base na abordagem qualitativa, a fim de se buscar uma maior compreensão na análise das experiências relatas pelos entrevistados. Os resultados obtidos evidenciaram que as práticas do assédio moral e organizacional trouxeram graves consequências para a vida dos funcionários, tanto no âmbito pessoal como profissional. Os entrevistados relataram problemas de saúde, sobretudo, no que se refere à saúde mental, tendo com causa o assédio moral sofrido dentro das instituições em que trabalham/trabalharam.


Palavras-chave


assédio moral, assédio organizacional, instituições bancárias

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho. São Paulo: Editora Bomtempo, 2003.

ARAÚJO, Eneida Melo Correira de. A redução das horas de trabalho como um dos paradigmas de superação da crise econômica. In História, cultura e trabalho: questões da contemporaneidade. Recife: Editora da UFPE, 2011.

ÁVILA, Rosemari Pedrotti de. As consequências do assédio moral no ambiente de trabalho. 2. ed. São Paulo: LTr, 2015.

BAIBICH, Maria Esther Souza; LISBOA Marilda Contessa. A cultura e a ética organizacional frente ao assédio moral no trabalho. In TOLFO, Suzana da Rosa; OLIVEIRA, Renato Tochetto de. (orgs.). Assédio moral no trabalho: Características e intervenções. Florianópolis: Lagoa Editora, 2015.

BARRETO, Margarida. Violência, saúde e trabalho: uma jornada de humilhações. São Paulo: EDUC, 2006.

BARRETO, Margarida; HELOANI, Roberto; SALVADOR, Luiz. Presenteísmo: suas causas, formas e consequências no mundo do trabalho. In: GIZZI, Jane Salvador de Bueno; MENDONÇA, Ricardo Nunes de; TELES, Gabriela Caramuru. Assédio moral organizacional: as vítimas dos métodos de gestão nos bancos. Bauru: Canal editora, 2017.

BARROS, Alice Monteiro de. Curso de direito do trabalho. 7. ed. São Paulo: LTr, 2011.

BOVESPA, BM&F. Índice de Sustentabilidade Empresarial – ISE. 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.

BRASIL ECONÔMICO. De cada dez denúncias de assédio moral no Brasil, três são contra bancos. 2014. Disponível em: http://economia.ig.com.br/2014-04-24/de-cada-dez-denuncias-de-assedio-moral-no-brasil-tres-sao-contra-bancos.html. Acesso em: 25 jan. 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: . Acesso em: 14 ago. 2017.

______. Assédio moral em estabelecimentos bancários. Coordigualdades: Brasília: Ministério do Trabalho, 2013.

______. Assédio moral: conhecer prevenir cuidar. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Capitalismo dos técnicos e democracia. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v.20, n.59, p.133-148, 2005.

CARVALHO, Nordson Gonçalves de. Assédio moral na relação de trabalho. São Paulo: Rideel, 2009.

CERQUEIRA, Vinícius da Silva. Assédio moral organizacional nos bancos. 2012.Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo, Faculdade de Direito, São Paulo, 2012.

______. Assédio moral organizacional nos bancos. São Paulo: LTr, 2015.

COHN, A.; MARSIGLIA, R. G. Processo e organização do trabalho. In: ROCHA, Lys Esther; RIGOTTO, Raquel Maria; BUSCHINELLI, José Tarcísio Penteado (Orgs.). (orgs.). Isto é trabalho de gente? vida, doença e trabalho no Brasil. São Paulo: Vozes, 1993.

COSTA, Aline Perreira Neves da; OLIVEIRA, Vanessa Estulano de. Assédio moral no ambiente de trabalho. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 11., 2014, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: SEGET, 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 ago. 2017.

COZERO, Paula Talita. A astúcia empresarial e a falácia da neutralidade: construções ideológicas da gestão de empresas sobre o direito do trabalho. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2014.

DEJOURS, Christophe. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. Tradução de Ana Isabel Paraguay e Lúcia Leal Ferreira. 5. ed. São Paulo: Oboré Editorial, 2006.

DINIZ, Maria Helena. Dicionário Jurídico. São Paulo: Saraiva, 1998.

ENGELS, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do estado. 16. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

______. O papel do trabalho na transformação do macaco em homem. 2004. Disponível em: . Acesso em: 09 fev. 2018.

______. Sobre o papel do trabalho na transformação do macaco em homem. In: ANTUNES, Ricardo (org.). A dialética do trabalho: escritos de Marx e Engels. São Paulo: Expressão popular, 2011.

FARIA, José Henrique de. Análise crítica das teorias e práticas organizacionais. São Paulo: Atlas, 2007.

______. Economia política do poder: as práticas do controle nas organizações. 5. ed. Curitiba: Juruá, 2008.

FARIA, José Henrique de; MENEGHETTI, Francis Kanashiro. O sequestro da subjetividade. In FARIA, José Henrique de (Org.). Análise crítica das teorias e práticas organizacionais. São Paulo: Atlas, 2007.

________. Sequestro da subjetividade e novas formas de controle psicológico no trabalho: uma abordagem crítica ao modelo toyotista de produção. In: FARIA, José Henrique de (Org.). Análise crítica das teorias e práticas organizacionais. São Paulo: Atlas, 2007.

FOUCAULT, Michel. A microfísica do poder. 9. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1990.

FROSSARD, Maiby Carestiato. Qualidade de vida no serviço público: um programa para a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - ANP. 2009. Dissertação (Mestrado) - Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2009.

GAULEJAC, Vincent de. Gestão como doença social: Ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. 3 ed. São Paulo: Ideias & Letras, 2007.

GOSDAL, Thereza Cristina. O entendimento do assédio moral e organizacional na justiça do trabalho. In: SOBOLL, Lis Andrea Pereira (org.). Intervenções em assédio moral e organizacional. São Paulo: LTr, 2017.

HELOANI, Roberto. Ausência de saúde moral: debilidade de ego ou doença ocupacional. In: CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE SAÚDE MENTAL NO TRABALHO, 3., 2008, Goiânia. Anais... Goiânia: Fórum de Saúde e Segurança do Trabalho no Estado de Goiás e Instituto Goiano de Direito do Trabalho, 2008.

______. Assédio moral: um ensaio sobre a expropriação da dignidade no trabalho. ERA- eletrônica, v 3, n 1, p. 10, jan/jun. 2004.

HELOANI, Roberto; BARRETO, Margarida. Trabalhadores “transformers” e flexibilização. Onde entra o assédio moral? In: TOLFO, Suzana da Rosa; OLIVEIRA, Renato Tochetto de. (orgs.). Assédio moral no trabalho: características e intervenções. Florianópolis: Lagoa Editora, 2015.

HIRIGOYEN, Marie-France. Mal-estar no trabalho: redefinindo o assédio moral. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

______. Assédio Moral: a violência perversa do cotidiano. 10. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2008.

HOSRT, Ana Carolina; SOBOLL, Lis Andrea Pereira; CICMANEC, Édna. Prática de gestão e controle da subjetividade dos trabalhadores: a ideologia de encantamento em uma empresa de varejo. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v. 16, n. 1, p. 9-23. 2013. Disponível em: . Acesso em: 26 jan. 2018.

INÁCIO, Aparecido. Assédio moral no mundo do trabalho: doutrinas, comentários, jurisprudência e casos concretos. São Paulo: Ideia & Letras, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA E SUSTENTABILIDADE (IBGC). Governança em tempos de Crise: repensando o papel dos conselhos. Relatório anual. 2009. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2017.

LEITE, Milca Michele Cerqueira. Notas sobre o assédio organizacional e seus efeitos deletérios pelo olhar da “clínica” do trabalho. In: GIZZI, Jane Salvador de Bueno; MENDONÇA, Ricardo Nunes de; TELES, Gabriela Caramuru. Assédio moral organizacional: as vítimas dos métodos de gestão nos bancos. Bauru: Canal editora, 2017.

LEYMANN, Heinz. The content and development of mobbing at work. The European Journal of Work and Organizational Psychology, London, n. 5, p. 165-184, 1996.

LIPMANN, Ernesto. O que não é dano moral no Direito do Trabalho. Revista do Trabalho, São Paulo, ano 71, n. 9, p. 1043-1047, set. 2007.

LUKÁCS, Georg. As bases ontológicas do pensamento e da atividade do homem. In:______. Temas de Ciências Humanas. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1978.

MACEDO, Fernanda et al. BM&FBOVESPA O valor do ISE: Principais estudos e a perspectiva dos investidores. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.

MANIGLIA, Elisabete. Sustentabilidade e saúde do trabalhador. In: SEMINÁRIO DE SAÚDE DO TRABALHADOR, 7., Franca. Anais... Franca: UNESP, 2012.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva. Fundamentos de metodologia científica. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Tradução de Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

______. Manuscritos econômicos-filosóficos. Tradução de Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo Editorial, 2004.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

MAY, T. Pesquisa social: questões, métodos e processos. São Paulo: Artmed, 2004.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

MOTTA, Paulo Roberto. Transformação organizacional: a teoria e a prática de inovar. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1998.

MUNCK, Luciano; SOUZA, Rafael Borim. Gestão por Competências e Sustentabilidade Empresarial: em busca de um quadro de análise. In: ENCONTRO NACIONAL E INTERNACIONAL DE GESTÃO EMPRESARIAL E MEIO AMBIENTE, 9., 2009, Fortaleza. Anais... Fortaleza: ENGEMA, 2009.

OLIVEIRA, Carlos Roberto de. A história do trabalho. São Paulo: Ática, 2006.

OLIVEIRA, Renato Tochetto de. Propostas de um modelo de ciclo básico do Assédio Moral no Trabalho sua sustentação teórica e uma breve descrição da atuação da Superintendência Regional do Trabalho em Santa Catarina. In TOLFO, Suzana da Rosa; OLIVEIRA, Renato Tochetto de. (orgs.). Assédio moral no trabalho. Características e intervenções. Florianópolis: Lagoa Editora, 2015.

PAXON, Dean; WOOD, Dean. Dicionário Enciclopédico de Finanças. São Paulo: Atlas, 2001.

PELI, Paulo; TEIXEIRA, Paulo. Assédio Moral: uma responsabilidade Corporativa. São Paulo: Ícone, 2006.

REIS, Clayton. Avaliação do dano moral. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2000.

SAVITZ, Andrew W.; WEBER, Karl. A empresa sustentável: o verdadeiro sucesso é lucro com responsabilidade social e ambiental. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

SENGE, Peter et al. A revolução decisiva: como indivíduos e organizações trabalham em parceria para criar um mundo sustentável. Tradução de Afonso Celso do Cunho. Rio de janeiro: Esevier, 2009.

SHLEIFER, Andrei; VISHNY, Robert W. A survey of corporate governance. Journal of Finance, Berkeley, v.52, p.737-783, jun.1997.

SILVA, J. Otacilio et al. A divisão do trabalho como instrumento de dominação. In: SEMINÁRIO DO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS, 3., 2004, Cascavel. Anais... Cascavel: Unioeste, 2004. Disponível em: . Acesso em: 26 jan. 2018.

SOARES, Leandro Queiroz. Interações socioprofissionais e assédio moral no trabalho. 2. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2015.

SOBOLL, Lis Andrea Pereira. Assédio moral e organizacional na perspectiva psicossocial: critérios obrigatórios e complementares. In: ______ (org.). Intervenções em assédio moral e organizacional. São Paulo: LTR, 2017.

______. Assédio moral/organizacional: Uma análise da organização do trabalho. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008.

SOBOLL, Lis Andrea Pereira; GOSDAL, Thereza Cristina (orgs.). Assédio moral interpessoal e organizacional: um enfoque interdisciplinar. São Paulo: LTR, 2009.

SOREL, Georges. Reflexões sobre a violência. Petrópolis: Vozes 1993.

TELES, Gabriela Caramuru; UCHIMURA, Guilherme Cavicchioli; MENDONÇA, Ricardo Nunes de. Dependências e supeerexploração no trabalho bancário brasileiro: uma aproximação empírica. In: GIZZI, Jane Salvador de Bueno; MENDONÇA, Ricardo Nunes de; TELES, Gabriela Caramuru. Assédio moral organizacional: as vítimas dos métodos de gestão nos bancos. Bauru: Canal editora, 2017.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 13. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

ZABALA, Itaqui Piñuel Y. Mobbing: como sobreviver ao assédio psicológico no trabalho. São Paulo: Loyola, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2319-0574